• Crise internacional pode abrir novos mercados para o frango brasileiro

    21/01/2004

    Os casos da influenza aviária, a chamada gripe do frango, na Ásia podem render bons negócios para o Brasil. Para o presidente da Associação Brasileira de Exportadores de Frango (Abef), Júlio Cardoso, ainda é cedo para dizer que as exportações brasileiras vão aumentar, mas as perspectivas são boas. “Com os problemas que estão ocorrendo em outros países, sem dúvida, o que acaba acontecendo é que os mercados importadores começam a se voltar para o Brasil”, diz.

    Cardoso acredita que os importadores de carne de frango passarão a ver o país como o grande fornecedor mundial, ou o fornecedor que tem as condições adequadas para oferecer produtos saudáveis.

    No ano passado, o Brasil passou a ocupar a posição de segundo lugar no ranking dos maiores exportadores mundiais, em volume, de carne de frango. Em faturamento, superou os Estados Unidos e se tornou o maior exportador do planeta. O Japão é um dos principais compradores da carne de frango brasileira.

    Júlio Cardoso explica que o Brasil tem capacidade de aumentar a sua produção, caso a demanda internacional por carne de frango cresça.

    Os produtores nacionais elogiam as medidas adotadas pelo Ministério da Agricultura, como a proibição da entrada de aves, seus produtos e subprodutos de países onde tenha ocorrido casos da influenza aviária. Mas o presidente da Abef alerta que é preciso unir forças com o governo federal e com os governos estaduais para manter o controle rigoroso na área de defesa animal.

    A grande distância entre o Brasil e a Ásia é vista como uma barreira natural para a chegada do vírus da influenza aviária.

    Fonte: Agência Brasil