• EUA dizem que Trump quer negociar acordos com UE, Reino Unido e Japão

    17/10/2018

    O Departamento de Comércio dos Estados Unidos comunicou ao
    Congresso que o presidente americano, Donald Trump, tem a intenção de negociar acordos comerciais com a União Europeia (UE), Reino Unido e Japão.

    “Sob a liderança do presidente Trump, continuaremos expandindo o
    comércio e o investimento dos Estados Unidos a partir da negociação de
    acordos comerciais com o Japão, a União Europeia e o Reino Unido”,
    armou o responsável pelo Departamento de Comércio americano, Robert
    Lighthizer.

    Desde que assumiu a Presidência, Trump manifestou interesse em
    negociar acordos bilaterais em vez de fazer parte de grandes tratados, o
    que levou Washington, por exemplo, a deixar o Tratado Integral e Progressista de Associação Transpacíco (TPP) no ano passado.

    Negociações

    A notificação oficial ao Congresso é um passo preliminar necessário para
    que o governo comece a “desenvolver as negociações” com outros países e tem como objetivo garantir que “se beneficia” dos pontos de vista de ambas as Câmaras, de acordo com o comunicado.

    Na carta enviada pela Casa Branca ao Congresso, o governo reconheceu a grande importância da relação comercial que tem com a União Europeia, que alcança mais de US$ 1 trilhão ao ano, mas armou
    que existe um desequilíbrio.

    “Apesar do significativo volume comercial, os exportadores americanos em alguns setores importantes sofrem com diversas barreiras tarifárias e não tarifárias há décadas, o que provocou um desequilíbrio comercial entre Estados Unidos e União Europeia”, informou o documento.

    Conforme dados do governo americano, o volume de exportações para a
    União Europeia alcançou em 2017 US$ 501 bilhões, enquanto as importações do bloco foram de US$ 592 bilhões.

    Já a relação comercial entre Estados Unidos e Reino Unido no ano
    passado, segundo informações do Departamento de Comércio americano, foi de US$ 231,9 bilhões, enquanto com o Japão esta relação alcançou US$ 283,6 bilhões.

    Fonte: Agência Brasil